[Radioterapia] Conheça em detalhes a Radioterapia de Intensidade Modulada IMRT.

Radioterapia IMRT - Bons Estudos.

RADIOTERAPIA DE INTENSIDADE MODULADA (IMRT)

.

A Radioterapia é o uso específico de alta energia de radiação ionizante e pode utilizar feixes de tratamento com radiação X, gama, nêutrons e outras fontes para tratar o câncer. A radiação pode vir de uma fonte externa (radioterapia externa) ou de uma fonte localizada próxima ao tumor, colocada dentro do corpo (Braquiterapia). Um dos métodos amplamente disseminado, é a Radioterapia Conformacional Tridimensional (3D-RCT). É uma forma avançada de radioterapia externa que utiliza o computador para criar uma imagem tridimensional do tumor, possibilitando que múltiplos feixes de radiação de intensidade uniforme possam ser conformados exatamente para o contorno da área alvo de tratamento (células cancerosas mais uma margem de segurança).

A Radioterapia de Intensidade Modulada – IMRT (sigla originada do termo em inglês Intensity Modulated Radiation Therapy) é uma outra forma de radioterapia externa baseada na aceleração linear desenvolvida no final dos anos 90 que, além de permitir a conformação da radiação para o contorno da área alvo, ainda utiliza múltiplos feixes de radiação angulares e de intensidades não uniformes. A IMRT é uma evolução da 3D-RCT por ser capaz de modular o feixe de tratamento, oferecendo maior intensidade de dose na área de interesses e poupando áreas onde essa intensidade não é desejada. Com isto, consegue-se irradiar tumores que são irregulares, com faces côncavas e rodeados por tecido normal, sem causar excessiva exposição à radiação dos tecidos normais adjacentes. A dose de radiação projetada para conformar a forma tridimensional do tumor pela modulação ou controle da intensidade de subcomponentes de cada feixe de radiação. Portanto, utiliza-se alta dose de radiação no tumor alvo, enquanto se espera diminuir a exposição à radiação dos tecidos normais circundantes, buscando a redução da toxidade ao tratamento.

O planejamento do IMRT é mais complexo do que o planejamento da 3D-RCT. Para ambos, o radioterapeuta designa alvos específicos (tumor alvo, regiões eletivas nodulares) e estruturas evitadas (parede retal, bexiga, medula espinhal, glândulas salivares etc…) delineando cuidadosamente os tecidos alvos e circundantes da estrutura com o auxílio da TC/RM. Na 3D-RCT, os arranjos dos feixes simples são conformados de forma que haja generosas margens de campo para compensar as variações diárias de configuração e características físicas do próprio feixe. Já no planejamento do IMRT é necessário definir as especificações de dose tanto pra o órgão alvo como para as estruturas que se pretende proteger, determinando restrições/permissões de tolerância, de acordo com a importância da proteção necessária ao órgão avaliado nestas restrições/permissões. O software de planejamento cria uma série de padrões de modulação em que cada feixe de ângulo empenha-se em alcançar as doses prescritas pelo médico, que foram minunciosamente calculadas pelo físico.

.

.

.

Figuras 1, 2 e 3: A distribuição de doses de Radioterapia de Intensidade Modulada (IMRT) é demonstrada em três planos (sagital, coronal e axial) para um paciente com câncer de cabeça/pescoço e um paciente com câncer de próstata. Os pontos vermelhos indicam a localização do isocentro, já outras linhas/regiões coloridas representam variações de doses para as regiões menos afetadas pelo câncer (observar legenda das imagens).

.

Monte sua Biblioteca de Conteúdo 🙂

Para ter esse material em PDF diretamente em seu dispositivo, basta clicar no botão abaixo:

.

Gostou do Artigo? Deixe um Comentário e nos diga o que achou, sua opinião é muito importante para nós.

Contribuímos com seu Conhecimento? Ajude a tornar o Projeto Radiologia na Palma da Mão mais conhecido, escolha uma das Redes Sociais abaixo e Compartilhe esse conteúdo.

Prof. Me Raphael Ruiz

.

Referências:
Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). RADIOTERAPIA DE INTENSIDADE MODULADA (IMRT) PARA O CÂNCER DE PRÓSTATA. Informe ATS, Rio de Janeiro, 2009.
Indra J. Das; Chee-Wai Cheng; Kashmiri L. Chopra; Raj K. Mitra; Shiv P. Srivastava; Eli Glatstein. INTENSITY-MODULATED RADIATION THERAPY DOSE PRESCRIPTION, RECORDING, AND DELIVERY: PATTERNS OF VARIABILITY AMONG INSTITUTIONS AND TREATMENT PLANNING SYSTEMS. J Natl Cancer Inst, 2008.

.

.

.

.

Cadastre-se no Projeto Radiologia na Palma da Mão e receba nossos melhores Conteúdos!

livre de spam!