[Carcinoma Hepatocelular] Características do Carcinoma Hepatocelular (CHC), avaliadas pela TC.

Carcinoma Hepatocelular - Bons Estudos.

post-carcinoma-borda

CURIOSIDADES RADIOLÓGICAS

A neoplasia maligna do fígado mais comum em adultos é o Carcinoma Hepatocelular (CHC), sendo um dos tumores mais comuns do mundo. É considerado o câncer primário do fígado, ou seja, derivado dos hepatócitos (células hepáticas). A maioria dos pacientes com Carcinoma Hepatocelular tem cirrose e disfunção hepática subjacente, o que complica seu manejo clínico. A infecção pelo vírus B da Hepatite está relacionada com um de seus principais fatores de risco.

Para fins de determinação de extensão da doença e de resposta a tratamento, a Tomografia Computadorizada representa um dos principais procedimentos de diagnóstico de escolha. Dentre as características de aspecto imaginológico desta patologia, podemos destacar:

1 – O CHC possui maior ocorrência no lobo direito do fígado e por geralmente ser vascularizado, é suprido pelo sangre da artéria hepática, o que caracteriza aspecto hiperdenso na fase arterial. Enquanto o parênquima hepático recebe o sangue arterial da veia porta.

2 – Na fase portal do fígado, os tumores são geralmente menos densos que o parênquima realçado pelo contraste, que lhe chega através da veia porta e não irriga o tumor.

3 – Na fase pré-contraste, o CHC é geralmente hipodenso, podendo mostrar alguns pequenos focos hemorrágicos hiperdensos.

4 – No caso das metástases ainda avasculares (sítios ativos) a melhor fase é a portal, pois manifestam-se como nódulos hipo/isodensos no meio do parênquima hepático normal, que estará totalmente contrastado (hiperdenso).

5 – O CHC pode ser multicêntrico, além disso, tende a disseminar-se primeiro dentro do próprio fígado, principalmente ao longo das áreas linfáticas do tumor. Mas metástases também podem ser sistêmicas e aparecer em outros órgãos, como pulmões.

6 – Os tumores maiores são heterogêneos e em alguns casos, podem aparecer algumas calcificações. Além de poder apresentar aspecto em mosaico com áreas de diferentes densidades, devido a captação irregular de contraste pela massa tumoral.

Portanto, devido a diferentes características possíveis do CHC pela TC, o exame sempre deve ser conduzido conforme a indicação clínica do paciente.

m

carcinoma-radiologia-1

Figura 1 (A) Calcificações esparsas em volumoso Hepatocarcinoma Multicêntrico. (B) Melhor identificado após injeção endovenosa de contraste.

m

carcinoma-radiologia-2

Figura 2(A) CHC Fibrolamelar. Paciente jovem, sem hepatopatia. TC sem contraste, grande massa heterogênea no lobo direito e com calcificações centrais. (B) TC com contraste, nota-se realce heterogêneo e delimitação de outras lesões no lobo esquerdo.

m

Contribuímos com seu conhecimento?

Nos ajude tornar o Projeto Radiologia na Palma da Mão mais conhecido.

Escolha uma das Redes Sociais abaixo e Compartilhe esse conteúdo.

Se preferir, deixe também seu Comentário.

Professor Raphael Ruiz.

banner wd horizonte

m

Cadastre-se no Projeto Radiologia na Palma da Mão e receba nossos melhores Conteúdos!

livre de spam!
  • andeson

    Muito bom o método que passa os conteúdo da pra a simula muito bem o conteudo

  • Amo tudo que vcs fazem, são ótimos no q fazem.

  • marfisa

    muito gratificante cada conhecimento