[Ressonância Magnética] A importância da utilização da Ressonância Magnética na Avaliação do Feto.

Ressonância Magnética Fetal - Bons Estudos.

CURIOSIDADES RADIOLÓGICAS

A Ressonância Magnética Fetal permite uma visualização detalhada do feto (avaliação de vários órgãos como cérebro, pulmões e rins), assim como estruturas relacionadas com a gravidez (placenta, cordão umbilical e cavidade amniótica), avaliação cerebral do feto em desenvolvimento, incluindo o reconhecimento do parênquima cerebral, do aparecimento de sulcos, mielinização, alterações do tamanho ventricular.

O objetivo principal da imagem por Ressonância Magnética (RM) Fetal é a detecção de lesões ou anomalias não visualizáveis por ecografia, ou esclarecer achados ecográficos duvidosos.

As indicações mais frequentes para a realização de RM Fetal são neurológicas. Contudo, a RM Fetal pode dar informação diagnóstica limitada em idade gestacional precoce, devido ao pequeno tamanho do feto e a existência de movimentos fetais (pelo que se utilizam sequências rápidas).

A decisão de efetuar RM Fetal deve ser multidisciplinar e a mãe deve ser informada sobre as vantagens e limitações deste exame.

Recomenda-se esperar até a 17ª – 18ª semanas de gestação antes de realizar uma RM Fetal, pelo risco potencial para o feto em desenvolvimento devido a exposição ao alto campo magnético e pelas limitações atuais da RM Fetal na avaliação de fetos de tamanho pequeno e com movimento excessivo.

Gostou do Tema?

Compartilhe em suas Redes Sociais e nos diga nos Comentários, o que achou desse Artigo.

Professor Raphael Ruiz e Equipe.

M

PARTICIPE DE NOSSO EVENTO DIGITAL

m

Cadastre-se no Projeto Radiologia na Palma da Mão e receba nossos melhores Conteúdos!

livre de spam!