[Tomografia e Ressonância] Saiba com detalhes, as principais diferenças entre TC e RM.

Diferenças entre Tomografia e Ressonância - Bons Estudos.

CURIOSIDADES RADIOLÓGICAS

Aspectos Positivos e Prioritários na Comparação das Modalidades de TC e RM.

Nos métodos de imagem por Tomografia Computadorizada (TC) e Ressonância Magnética (RM), temos uma grande importância na avaliação anatômica, morfológica e até funcional dos órgãos e estruturas de interesse. Através de uma síntese, podemos salientar aspectos positivos da TC, como:

Menor tempo de execução de exames; Menos custo quando comparado à RM; Avaliação em planos axiais sem superposição de estruturas com possibilidades de reformatações multiplanares e reconstruções tridimensionais; Facilidade no estudo de lesões de forma dinâmica, com uso do meio de contraste iodado endovenoso.

A RM por sua vez, tem sido cada vez mais solicitada em virtude de:

Ser um método que não utiliza radiação ionizante; Aquisição em planos de corte (multiplanares), desde o axial, coronal, sagital e oblíquo, sendo adequado de acordo com a investigação proposta; Sensibilidade em caracterizar tipos específicos de tecidos baseados na intensidade de sinal (gordura, sangue e água), diferenciando diversas patologias; Possibilitar o estudo de lesões de forma dinâmica; Uso de contraste paramagnético em pacientes com contraindicação ao contraste iodado; Garantir uma boa resolução espacial nos estudos vasculares sem e com contraste endovenoso; Permitir avaliação funcional de determinadas patologias.

Como aspectos menos vantajosos…

A TC utiliza radiação ionizante, não estando formalmente indicada em pacientes com história alérgica ao meio de contraste iodado, limitação do exame em pacientes extremamente obesos e contraindicação a gestantes.

A RM apresenta um tempo longo de execução dos exames e está contra indicada em pacientes com marca-passo cardíaco, implantes cocleares, valvas cardíacas, determinados clipes ou molas aneurismáticas não compatíveis ao campo magnético e fragmentos metálicos intra-orbitários.

O que se tem observado é que em muitos casos a TC precede o exame de RM pelas vantagens supracitadas, sendo a RM melhor interpretada como método complementar à TC, em casos mais específicos quando o diagnóstico diferencial entre algumas lesões não pode ser esclarecido apenas pela TC e com outros métodos complementares.

“Não existe uma modalidade que seja mais ou menos importante, cada modalidade com sua especificidade”.

Gostou do Tema?

Compartilhe em suas Redes Sociais e nos diga nos Comentários, o que achou desse Artigo.

Professor Raphael Ruiz e Equipe.

M

PARTICIPE DE NOSSO EVENTO DIGITAL

m

Cadastre-se no Projeto Radiologia na Palma da Mão e receba nossos melhores Conteúdos!

livre de spam!
  • Caio Gomes

    Ótimo tema abordado, Excelente didática.

  • Gostaria de parabenizar pelo seu trabalho. tenho ido em palestras e estou gostando muito fica aqui minha torcida, de sucesso e continuarei te seguindo .

  • victor hugo

    ja á máquinas de rnm que fazem imagens 3D

  • Leandro soares

    Parabéns professor Raphael pelo conteúdo sua didática de ensino
    E para compartilhar vosso conhecimento.nesse projeto.de.educação continuada
    Obrigado

  • Anônimo

    Obrigada,muito bom.

  • Deivith

    Excelência em Ensino!!!

  • Catia Matos

    achei interessante,quero participar.